Então você quer ser um missionário? Discernindo o chamado de Deus para missões mundiais

Como você sabe que Deus está te chamando para o trabalho missionário de longo prazo? É uma grande decisão, então é melhor você acertar, certo? Para muitas pessoas, a ideia de descobrir o chamado de Deus em suas vidas parece envolta do mistério. Eles podem querer servir a Deus e fazê-lo no exterior, transculturalmente entre um povo que tem pouco acesso às Boas-novas sobre Jesus Cristo. Mas é isso que Deus quer que você faça?

Neste breve post, quero tentar tirar um pouco do mistério de discernir o chamado de Deus para o serviço missionário. No entanto, primeiro quero fazer uma pergunta. Como as pessoas discernem o chamado de Deus para o mundo dos negócios? Ensino? Engenharia? Design gráfico? Gestão de restaurantes? Essa pode parecer uma pergunta estranha, porque quase todos os outros empregos, além do serviço cristão em tempo integral, são simplesmente algo que as pessoas decidem por si mesmas. Eles podem orar um pouco sobre isso, mas provavelmente não esperam por um chamado sobrenatural para seu tipo de trabalho escolhido. Eles têm interesse nisso,  oportunidades de educação e cargos de nível básico se abrem e vão em frente. Posso estar errado, mas imagino que poucos encanadores agonizaram com o chamado de Deus para o encanamento antes de pegar uma chave inglesa. A decisão de servir a Deus como um missionário precisa ser diferente?

Servir a Deus em missões transculturais é certamente uma decisão importante porque afeta a nós e nossa família, requer um compromisso físico, emocional e espiritual de vários anos… isso é apenas se preparar para ir ao campo missionário e passar pelo estudo inicial do idioma. Mas nenhuma carreira exige um compromisso sério? Mesmo que você não se mova fisicamente pelo mundo e aprenda outro idioma? Claro, é verdade. Estou convencido de que, embora comprometer-se com o serviço missionário não seja algo para se fazer levemente, não é necessariamente tão diferente de outras grandes decisões que tomamos na vida.

Quando algumas pessoas pensam em ouvir o chamado de Deus para missões, imaginam ter um sonho sobre a China ou uma voz quase audível dizendo-lhes para irem aqui ou fazer isso. Algumas pessoas hesitam em entrar em missões porque não têm confiança absoluta de que é isso que Deus deseja que façam. Não espere por nada disso. Isso pode fazer parte da experiência de algumas pessoas porque Deus não chama a todos da mesma maneira. Mas, para a maioria das pessoas, discernir o chamado para missões é um processo de vários fatores que se unem para tornar o cumprimento de missões desejável e possível.

Se você está convencido de que fazer missões está de acordo com o que Deus revelou na Bíblia, quer ser um missionário

… e você buscou a vontade de Deus em oração,

… e sua família concorda,

… e sua igreja pensa que você é adequado para fazer missões,

… e uma organização missionária pensa que você é adequado para fazer missões,

… e você fez cursos ou treinamentos, que sua igreja e sua organização missionária escolhida concordaram,

… então vá em frente. 

 

Dando o próximo passo 

Muitas vezes na vida, não temos a convicção cristalina de que um certo caminho é certo até que estejamos trilhando por algum tempo. É avaliar olhando o que passou. Meu próprio processo de envolvimento em missões de longo prazo foi gradual e eu não sabia bem se estava indo no caminho certo até já ter dado o salto. Tudo começou com uma viagem missionária de curto prazo após meu segundo ano de universidade. Voltei para casa com a sensação de que ‘eu poderia fazer algo assim’. No ano seguinte, participei de uma conferência de missões e decidi que queria ser um missionário de longo prazo. Mas como? Onde? Quando? Eu fiz um curso intensivo de missões de um mês no ano seguinte e comecei a conhecer o terreno. Minha convicção se aprofundou. Senti que agora sabia quais perguntas precisava fazer no futuro.

Depois da universidade, trabalhei por um ano e depois me inscrevi para ir à Tailândia com a OMF International. Eles me aceitariam? Era isso que Deus queria? Meu ex-pastor de jovens me perguntou quando eu iria à Tailândia e confessei que não sabia, visto que não tinha recebido resposta sobre minha inscrição. – Por que eles não iriam querer você? – Ele jogou essa: ‘Claro que vão te aceitar!’ E eles aceitaram. Eu fiquei na Tailândia por 2,5 anos aprendendo línguas, ensinando inglês e ajudando uma equipe de plantação de igrejas existente. Foi uma experiência fantástica e desafiadora, mas o que devo fazer a seguir? Estudar no seminário parecia ser um pré-requisito bom e necessário para desenvolver a resistência para o serviço de longo prazo, então eu me inscrevi para fazer um mestrado de aperfeiçoamento teológico ministerial (MDiv). Mas devo voltar à Tailândia ou ir para outro lugar? Uma missionária sênior perguntou se eu voltaria à Tailândia e eu disse que não sabia. – Você deveria voltar! – Ela me disse sem rodeios. ‘Você já sabe tanto do idioma, seria uma pena se você não voltasse!’ Eu não podia argumentar contra essa lógica. Eu sabia o idioma, gostava da Tailândia e do povo tailandês e havia uma grande necessidade de testemunhas do evangelho na Tailândia.

Então, estava decidido. Eu faria missões de longo prazo na Tailândia.

 

Um desejo crescente 

Isso foi há quase 20 anos e meu pensamento desde então sempre foi que isso é o que eu faria pelo resto da minha vida, a menos que Deus claramente me chamasse para fazer outra coisa. E, claro, sempre existe a possibilidade Dele me chamar para fazer outra coisa. Sempre temos que estar abertos para a liderança do Espírito Santo conforme as circunstâncias da vida mudam e se desenvolvem. Mas quer Deus esteja nos chamando para o trabalho missionário, quer para outra coisa, o processo é semelhante. Temos um desejo crescente de fazer algo, achamos que podemos ter aptidão para isso, conversamos com pessoas em quem confiamos para ver se elas acham que somos adequados para fazer algo assim e buscamos ativamente treinamento e oportunidades para tornar isso uma realidade.

Você não precisa de um raio ou de um sonho para sentir o chamado de Deus. O chamado de Deus às vezes vem de maneiras extraordinárias, mas com mais frequência Ele nos chama por meio de processos normais. Podemos ouvir seu chamado na Bíblia, em nossos próprios interesses e por meio da afirmação de nossa igreja e de outros cristãos em quem confiamos. Precisamos de tempo para orar e considerar, mas não precisamos tornar o chamado de Deus para missões mais misterioso do que precisa ser. Como sugeri, não precisamos esperar por alguma experiência sobrenatural, precisamos agir sobre o que Deus já disse. Você é chamado para missões? Por que não dar os primeiros passos nessa direção e descobrir?

Entre em contato com o centro OMF local para iniciar uma conversa.

Karl Dahlfred

OMF Tailândia

Karl Dahlfred tem servido com a OMF na Tailândia desde 2006. Ele ensinou História da Igreja e Missões no Bangkok Bible Seminary, auxiliou na edição e tradução de livros cristãos tailandeses na OMF Publishers Thailand e se envolveu com plantação de igrejas na Tailândia central e em Bangkok. Em 2020, ele completou um Ph.D em Cristianismo Mundial na Universidade de Edimburgo e está se preparando para retornar à Tailândia. Karl e sua esposa Sun têm três filhos. Saiba mais sobre a família Dahlfred e leia seu blog aqui.

Compartilhe este post

Envolva-se

Tem perguntas? Envie-nos um e-mail.

Sua consulta será encaminhada para a equipe OMF pertinente.

Contact Form - PT

Ai clicar em Enviar, você concorda com o processamento das suas informações de acordo com os termos em nosso Política de Privacidade.

OMF International possui uma rede de centros em todo o mundo.
Se o seu país/região não estiver listado, selecione nosso site internacional.