As boas novas de Jesus são maiores do que você imagina. Por exemplo, tive o privilégio de fazer parte de um ministério no Leste Asiático, onde as igrejas oferecem atendimento a pacientes no leito em suas comunidades. Voluntários visitam casas e hospitais para mostrar o amor de Jesus ao cuidar dos pacientes, apoiar famílias em luto e compartilhar a esperança do evangelho. [1]

Este é apenas um exemplo de como elaboramos a declaração de missão da OMF: ‘Compartilhamos as boas novas de Jesus Cristo em toda a sua plenitude com os povos da Ásia Oriental para a glória de Deus.’ [2] Fico feliz com as palavras ‘em toda a sua plenitude’, pois isso nos lembra do escopo de tudo o que Jesus realizou na cruz: a morte e ressurreição de Jesus foi para a reconciliação de toda a criação de Deus (Efésios 1:7-10; Colossenses 1:15-20).

Esta boa nova é realmente completa, é “para as pessoas como indivíduos, para a sociedade e para a criação. Todos os três estão corrompidos e sofrendo por causa do pecado; todos os três estão incluídos no amor redentor e na missão de Deus; todos os três devem fazer parte da missão abrangente do povo de Deus.” [3]

O escopo das boas novas

É importante também lembrarmos que Jesus falou das boas novas do Reino. Devemos manter essa perspectiva de Reino, pois ela pode nos ajudar a começar a compreender o alcance profundo, amplo e rico dessas boas novas. Essa visão significa que as boas novas não são apenas para a salvação espiritual pessoal, mas se estendem a todas as partes da vida.

Na verdade, a salvação significa trazer todas as coisas sob o senhorio de Jesus: nossas vidas, nossas igrejas, nossas comunidades e nossas nações. Isso transforma nosso compromisso com a missão de Deus. Isso significa que precisamos proclamar as boas novas do Reino e demonstrá-las por meio de respostas compassivas às necessidades sociais, agindo para trazer a justiça de Deus à sociedade e assumindo a responsabilidade de cuidar da criação de Deus. Essas são questões do Reino e, portanto, devemos refleti-las no trabalho que desempenhamos. [4]

Como a OMF pode compartilhar a plenitude das boas novas de Jesus Cristo? No ministério de assistência ao fim da vida, eu descrevi que isso é feito por igrejas que cuidam de pacientes terminais e suas famílias, acreditando que isso é uma demonstração poderosa da esperança e transformação que o Reino de Deus traz. Este cuidado amoroso não é simplesmente um meio de criar oportunidades para o evangelismo; ao invés disso, é parte de todo o testemunho das igrejas em suas comunidades, enquanto as boas novas do Reino são vividas, vistas e ouvidas.

O país asiático onde este trabalho está ocorrendo tem crenças espirituais complexas e muitas necessidades sociais. Portanto, é necessário todo tipo de testemunho, praticado pela Igreja, ao comunicar as boas novas de uma forma que seja relevante para as necessidades de suas comunidades com uma mensagem confiável de esperança do Reino. Eu ouço muitas histórias de pessoas que adquiriram a fé em Jesus e enfrentam seus últimos dias de vida com paz e alegria – esse é um testemunho poderoso das boas novas em toda a sua plenitude.

Uma abordagem integrada para a missão

Missão integral é o termo mais comumente usado para descrever a abordagem do Reino à missão. A Igreja está no centro da Missão Integral, pois não pode ser um trabalho apenas para indivíduos. É principalmente na comunidade da Igreja onde a vida como povo do Reino, sob o senhorio de Jesus Cristo, é desenvolvida. Deus está ampliando seu Reino e chama sua Igreja para fazer parte disso, alcançando as nações com suas Boas Novas. Para os obreiros da OMF que cruzam culturas para participar da Missão Integral, isso significa um compromisso de longo prazo para: integrar-se com novas culturas, aprender novas línguas, viver como embaixadores do Reino de Cristo (2 Coríntios 5:20) e, já que não podemos fazer isso sozinhos, firmamos parcerias com igrejas e irmãos locais para ver o Reino de Deus crescer.

Quando falo sobre Missão Integral, às vezes ouço pessoas que temem que ela possa negligenciar a proclamação verbal das boas novas. Na verdade, descobrimos no ministério de assistência aos últimos dias de vida que foram aqueles que já estavam envolvidos na evangelização que também se tornaram os mais comprometidos com essa abordagem. Eles compreenderam que todo esse testemunho edifica a Igreja, levando-a a uma relação de salvação com o Senhor Jesus, e leva a sua Igreja ao mundo para testemunhar seu Reino. Usar formas de testemunho localmente apropriadas e adaptadas resultará em comunidades de cristãos que são reconhecidas como frutos locais em vez de algo importado de outro país. Portanto, eles têm o potencial de crescer de forma mais saudável em seu ambiente social e cultural.

Hoje, na OMF, muitos estão trabalhando na Missão Integral em parceria com irmãos da nação local e por meios mais informais, ao viverem um testemunho amoroso de Jesus com seus amigos e vizinhos do Leste Asiático. Em uma grande cidade asiática, um ministério focado em discipulado está trabalhando com uma igreja para responder à extrema pobreza em sua comunidade. Um grupo de igreja dirige um pequeno negócio que oferece sustento para pessoas com deficiência.

Em ambientes restritivos em todo o Leste Asiático, os cristãos estão servindo na saúde e na educação como testemunho de Jesus em instituições governamentais. Eles estão incorporando o Reino de várias maneiras criativas, que declaram de todas as maneiras que Jesus é o Senhor. À medida que desenvolvemos a Missão Integral na OMF, esperamos ver mais igrejas trabalhando juntas, compartilhando as boas novas do Reino de Jesus Cristo com os povos da Ásia Oriental onde quer que estejam, enquanto esperamos pelo dia em que o Reino realmente virá em toda a sua gloriosa plenitude.

–Sarah
Consultora de Missão Integral OMF 

Leia o artigo original em inglês no site Billions.omf

Mais leituras sobre o tema

  • Chris Wright, Five Marks of Mission- Making God’s Mission Ours (Micah Global Series, 2016)
  • Melba Maggay, Integral Mission: Biblical Foundations (Micah Global Series, 2016)
  • Tim Chester, Is Everything Mission?  (IVP/Keswick Ministries, 2019)

Referências (em inglês)

[1] Uma história sobre esse ministério foi divulgada na edição de setembro – dezemro de 2018 de Billions. Você pode ler o artigo online aqui.

[2] Você pode ler a explicação do Diretor Nacional da OMF (Reino Unido) Peter Rowan sobre nossa declaração de missão quando a adotamos em 2015 aqui.

[3] Cape Town Commitment, 1.7a, 2010

[4] Artigo de Peter Rowan, ‘Shaped by the Coming Kingdom’ na edição de maio-agosto de 2019 de Billions, onde se aprofunda mais sobre o tema.

Start typing and press Enter to search