Os incríveis planos de Deus

Meus pais serviram como missionários na Tailândia por maravilhosos 17 anos, então temos ótimas histórias da nossa família.

Temos algumas histórias engraçadas sobre lagartixas caindo em panelas com sopa ou o papai misturando as palavras em tailandês em seus sermões.

Temos histórias de aventuras, como quando nosso caminhão ficou preso na lama em nosso caminho de volta quando visitamos uma das tribos Hill … ou quando meu pai mal conseguiu escapar dos ladrões da noite quando estava conduzindo sua moto para casa.

E, então, também há histórias incríveis de como Deus revelou a si mesmo para os tailandeses na nossa comunidade, de forma que elas entregaram suas vidas a Ele.

TUDO ISSO COMEÇOU COM UMA TEMPESTADE DE NEVE

Há uma história de família em particular que eu tenho guardado recentemente. É uma história que me trouxe um contentamento surpreendente em estar solteira. Ironicamente, é uma história de amor! E aconteceu antes do meu nascimento, antes dos meus pais se mudarem para a Tailândia.

Essa é a história de como a minha mãe, uma americana de uma pequena cidade localizada em Nova Jersey, conheceu meu pai, um grego que nasceu no Egito e cresceu no Canadá.

Minha mãe era uma aluna de enfermagem em Nova York naquela época. Como a sua irmã mais nova ia fazer uma apresentação na peça da escola, minha mãe decidiu pegar um vôo para Nova Jersey e fazer uma surpresa.

Na manhã que ela saiu para o aeroporto, começou a nevar.

Talvez as más condições da estrada foram um alerta suficiente, mas quando ela chegou ao aeroporto, todos os vôos foram cancelados devido ao clima.

A inesperada tempestade de neve de abril manteve minha mãe e muitos outros viajantes presos no aeroporto por 3 dias.

No entanto, em meio a esse contratempo e ao que poderia ter sido uma decepção, minha mãe sentiu paz. Ela aproveitou a oportunidade para conhecer outros passageiros, brincar com crianças entediadas e admirar a majestosa tempestade lá fora. E essa paz permaneceu, até o último dia em que ela percebeu que não seria capaz de voltar para casa. Minha mãe escreveu cada detalhe desse dia no seu livro de casamento em 1975:

“No dia seguinte a neve continuou e os meus vôos foram cancelados e de forma alguma eu conseguiria ver a Sally. No entanto eu estava contente – era o plano de Deus – e eu acabei conhecendo esse cara de cabelos encaracolados no balcão de passagens… Eu disse ‘Oi’, e de alguma forma começamos a conversar sobre ficarmos presos por conta da neve e descobrimos que ambos estávamos no aeroporto desde quinta-feira e não havíamos nos visto. Começamos a conversar caminhando e ele me convidou para almoçar.

Eu criei alguma desculpa para não ir. Eu não queria aceitar almoço de um estranho. E então ele me perguntou o que eu estava lendo.

Eu disse, ‘The Way, já leu?’

Ele disse, ‘Eu notei sua cruz…você é Cristã?’

Meus olhos se iluminaram, ‘Sim…e você?’

Ele disse, ‘Sim, eu sou!’

Eu sorri, ‘Ah, eu vou almoçar com você.’

A partir desse momento, durante 9 horas até eu conseguir uma carona para casa, compartilhamos nossa fé e nosso crescimento, andamos pela neve até a altura das nossas coxas para dizer ‘oi’ ao rapaz do estacionamento, conversamos sobre casamento com Cristãos e (sobre) ir para a Grécia.

O sol apareceu e a nevasca parou. De repente, minha carona estava aqui e ele rapidamente me deu seu nome, endereço e número de telefone no verso de um cheque em branco.

A separação foi repentina após nove horas de proximidade, uma proximidade que surgiu porque nós dois conhecíamos o Senhor – éramos um em Cristo Jesus. Quando conversávamos caminhando, parecíamos nos conhecer há anos.

Durante todo o trajeto para casa, Steve ocupou minha mente – e todos os dias. Eu não sabia se o veria novamente, mas toda noite eu orava por ele. E em três semanas e meia, escrevi para ele cinco cartas. Na verdade, não sabia por que, porque eu pretendia permanecer solteira. Eu tinha medo de que um homem interferisse no meu relacionamento com Deus – e mesmo assim, quando eu estive com Steve nessas 9 horas, minha fé cresceu.

(Descobri mais tarde que na noite anterior ao Steve me encontrar, ele havia orado a Deus para conduzi-lo a uma mulher cristã para ser sua esposa. Quando ele me viu no aeroporto usando minha cruz, ele pensou: ‘Esse é uma boa pessoa para que eu dê meu testemunho já que geralmente as pessoas usam cruzes e não sabem nada sobre Jesus Cristo.’ Então ele me seguiu e nos conhecemos.)”

DEUS TEM UM PLANO

Por causa de uma greve dos correios no Canadá, meu pai recebeu todas as 5 cartas no mesmo dia. Ele ligou imediatamente e perguntou se poderia visitá-la em Nova York. Quando ela deu a permissão, meu pai viajou de Montreal para Nova York e, depois de um adorável dia juntos, ele propôs. E ela disse que ‘sim’!

Meus pais serviram como missionários na OMF por 17 anos na Tailândia, onde criaram os quatro filhos.

Eles comemoraram seu 43º aniversário este ano.

Alívio … é isso que sinto quando me lembro dessa história.

Por quê?

Às vezes, como solteiro, há uma pressão para que você procure um marido com tanta intencionalidade e urgência quanto no desenvolvimento de uma carreira.

Você consegue se identificar? Com essa preocupação em mente, a família e os amigos lembram que você precisa “se expor”. E então o ataque de recomendações começa:

  • Já tentou namoro online?
  • Você deveria sair do grupo de mulheres e fazer parte de um estudo bíblico misto.
  • Quer que eu arranje alguém para você?
  • Você deveria tentar um encontro relâmpago!
  • O que você acha de um casamento arranjado? (Esse aqui é só uma piada.)

De verdade, eu não fico chateada com esses comentários ou perguntas. Mas a frequência e urgência dessas respostas comunicam a mim que o meu estado de solteira precisa ser consertado.

Você está familiarizado com a exaustão da busca? Procurar por uma “alma-gêmea” de repente se torna em um trabalho de meio período que traz insegurança sempre que seus esforços não produzem resultado.

No desânimo, podemos pensar: “Preciso fazer um esforço maior, preciso procurar mais, preciso parecer mais atraente, preciso baixar meus padrões, preciso orar com mais propósito…”

Que tempestade perfeita Satanás cria para nos levar a:

  • Confiar em nós mesmos
  • Nos encher de insegurança
  • Tirar nosso foco da busca por relacionamentos significativos (como amizades e mentoria)
  • Distração do ministério do qual Deus nos chamou.

É a história de amor dos meus pais que Deus usou para me trazer de volta à sua verdade e me deixar longe das mentiras do inimigo.

PODEMOS  CONFIAR EM DEUS COM NOSSAS VIDAS

Sei que posso confiar nos arranjos de Deus: as chances dos meus pais se encontrarem eram muito pequenas. Dois indivíduos de diferentes países, se conhecem em um estado de onde nenhum deles era, viajando no mesmo dia, surpreendidos por uma estranha tempestade de neve na primavera, e dentre milhares de passageiros esperando naquele aeroporto, meus pais se encontraram?

Só posso atribuir isso tudo a Deus, e é por esse motivo que confio a Deus meu estado civil.

Eu creio que Deus se preocupa comigo e tem um plano para a minha vida (Jeremias 29:11).

Decidi entregar minha vida de solteira para Deus. Se Ele quiser mudá-la, então Ele tomará conta disso. Sei, devido à experiência dos meus pais, que a distância e o tempo não são uma barreira para Deus.

Enquanto isso, eu me envolvo totalmente com os relacionamentos e ministério que já estão bem na minha frente. Que alegria é passar um tempo com a família e os amigos. Que privilégio é permitir que Deus me use no ministério.

Eu experimentei essa liberdade entregando essa área da minha vida a Deus e apreciando as alegrias da vida de solteira, confiando que Deus tem bons planos para o meu futuro. Se Deus tem alguém destinado a mim, sinto conforto sabendo que esse homem me encontrará buscando o chamado de Deus para minha vida, em primeiro lugar.

Harmony Niphakis

Harmony Niphakis passou seus primeiros anos como uma criança missionária da OMF na Tailândia.  Ela entregou sua vida a Deus ainda bem nova e agora serve como Mentora de FTC (Filhos de Terceira Cultura) com a OMF (E.U.A.) onde ela encontra alegria ao preparar e cuidar de crianças missionárias de todas as idades.  No seu tempo livre, Harmony gosta de passar tempo com suas sobrinhas, assistir a um bom filme, jogar com amigos e família, e criar suas 6 galinhas.

Start typing and press Enter to search