O coronavírus começou a se espalhar rapidamente pelo Reino Unido. Há pouco tempo, ainda nos reuníamos na igreja sem cumprimentar com as mãos ou nos abraçar, mas ainda assim podíamos nos encontrar “como de costume”.

No entanto, a partir de 18 de março, as igrejas cancelaram as reuniões presenciais e começaram a fazer atividades, como os cultos de domingo, online. Todos os bares, restaurantes e cafés estão fechados agora. Tudo mudou tão rapidamente.

Eu cancelei todas as nossas reuniões e o estudo bíblico. Apesar de não ter encontrado ninguém desses grupos presencialmente desde então, conversei com eles via Skype, Messenger ou outra tecnologia.

Infelizmente, como resultado das circunstâncias atuais, há um aumento na tensão e algumas pessoas estão se comportando de forma instável. Um grupo de amigos que tenho foi atacado na rua. As pessoas começaram a entrar em pânico durante as compras nos supermercados. Nunca havia visto uma fila longa às 6 da manhã em frente ao supermercado.

A maioria dos estudantes japoneses e algumas famílias japonesas voltaram para casa. Comecei a me perguntar como eu poderia desenvolver meu ministério sem me encontrar com os japoneses. Parecia que o ministério estava parando diante dos meus olhos.

Parecia que o ministério estava parando diante dos meus olhos.

Movendo-se online e aprendendo a receber

Apesar disso tudo, criei um grupo LINE (semelhante ao WhatsApp) com mães japonesas que compareciam às reuniões e aos estudos bíblicos. Liguei para elas às 10h30 na quinta-feira e sete mães se juntaram ao grupo. Compartilhamos nossos medos e preocupações em relação ao vírus. Conseguimos sorrir ao final da ligação, pois nos sentimos aliviadas por saber que estávamos todas bem naquele momento. Curtimos nosso bate-papo e rimos muito.

Quando eu organizava as reuniões e os estudos bíblicos, estava sempre ocupada. Dificilmente eu tinha um tempo livre para conversar com os grupos durante os dois anos desde que comecei a ser a anfitriã de todas essas atividades. Agora eu consigo conversar com cada um de forma muito mais profunda ao telefone. Quando encerrei o grupo LINE orando a Deus, vi que algumas delas se sentiam aliviadas ao ouvir minha oração.

Meu ministério parece ter parado, mas vejo que Deus começou a trabalhar no coração das pessoas de maneira diferente em meio a essa situação caótica.

Perguntei a três estudantes se eles queriam fazer um estudo bíblico online. Comecei com um aluno esta semana. Perguntei-lhe se ele queria continuar na próxima. Ele disse: “Hm…” Então pensei que ele não gostasse de estudar a Bíblia online. Porém, ele disse que queria estudar mais de uma vez por semana. E me pediu para fazer o estudo três vezes por semana. Como todas as outras atividades foram canceladas, eu tenho tempo de sobra para fazer isso três vezes por semana. Ele disse: “Quero conhecer mais a Jesus! Obrigado, Hiromi, por passar esse tempo comigo.”

Eu vim até aqui para compartilhar do amor de Deus, as Boas Novas de Jesus, com os japoneses no Reino Unido. E foi o que eu fiz. Mas comecei a aprender a receber de Deus pois não posso encontrar as pessoas por causa do coronavírus.

Meu ministério parece ter parado, mas vejo que Deus começou a trabalhar no coração das pessoas de maneira diferente em meio a essa situação caótica.

Hiromi Soma
Ministério Repatriados da Diáspora da OMF

Hiromi é do Japão e se tornou cristã enquanto era uma estudante internacional no Reino Unido. Ao retornar ao Japão, ela achou difícil se adaptar à cultura da igreja japonesa e sentiu-se chamada para ajudar os novos convertidos a se prepararem para a vida no Japão. Em 2018, Hiromi retornou ao Reino Unido com a OMF para trabalhar com os estudantes japoneses de lá.

Start typing and press Enter to search